Follow by Email

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

BRAIN STORM























      
BRAIN   STORM
 
 
      Ora, já se foi o tempo em que o homem só podia voar através dos sonhos. Agora,  nada da escrita é inocente, permita-me a descontinuidade das ideias porque as raízes encontradas são sempre as mais rasas e também porque não existe algo  mais subversivo do que o subdesenvolvimento cultural. Afinal, com quantas mentiras se contrói a verdade? Quem disse que a Arte é cultura inútil? Digo-lhe com toda densidade: isso é uma incongruência da polícia cultural e do pensamento binário pois fazem parte do mesquinho cálculo da razão em busca de equações artísticas e suas estruturas teóricas, sempre procurando plasmar programas da metafísica impossível para tendência do prazer imediato. Não meu caro leitor, somos contra o sarcasmo cáustico, especialmente esse que quer sustentar-se no exame linguístico  de imagens acompanhadas de atitudes tresloucadas próprias de gente de baixa autoestima vivenciando momentos de agradável isolamento entre livros de todo gênero em busca de uma lente pela qual você vê o mundo. Digamos bem alto que somos qualquer forma de totalitarismo de esquerda ou direita muito embora essas correntes sempre fundem-se pelo desejo do controle total.


      A palavra é um ser vivo. Gosta de brincar com fatos históricos que invariavelmente evoluem para nos abandonarem  numa nova condição de ex-assistidos ao velho crepitar da lenha diante da nossa imagem refletida na tua existência, assim como funcionam as rodas secretas construindo uma visão da metamorfose, esta foto tão incomoda não é imorrível, ela jaz na perniciosa ostentação e nos movemos em torno dela, como o sentimento feminino de honra no ato de lavar-se antes de uma prece(ablução). Um estrondo de cataclismo é absoluto num púcaro d'água quente na tentativa de elucidar tantas transformações da estrutura metafísica do amor. A isto chama-se "brain storm" enquanto faço referência a indícios de amadurecimento de uma civilização quando ainda havia um tecido social, agora só existe a cultura massificada e rastros já se apagando na narrativa desarvorada.

      Prossigo dentro da realidade cósmica. Impropriamente no vernáculo  existem muitas vezes sonhos de uma frase inteira, uma frase central cheia de conteúdo mas esvai-se como a água que escorre pelos dedos de uma mão diante de antropológicas circusntâncias para explodir o planeta com as ogivas existentes a justificarem sentimentos de exclusão. Sabe meu amigo e minha amiga,  difícil é não ter mais ninguém para chamar de papai e mamãe...  As falácias da lógica e da retórica em um mundo assombrado  cheio de artefatos de significado lendário e a tal descoberta de similiridades miditiaticamente preservando qualidades estéticas e linguagens específicas das imagens resultando tão somente diálogos absurdos de obras literárias alheias, ou melhor  traduzindo em miúdos: Aumento das conexões entre diferentes partes.

      Outras soluções são impossíveis, a mais improvável e verdadeira é converter a suserania teosófica numa mistura explosiva. Dessa forma ficaremos com a Paleozoologia e a Paleobotânica de modo que a Cosmologia não conhecerá palavras tais como;  possessivo ou pretérito, muito menos,  culpa e vaidade. Restará talvez a Oceanografia Biológica e seus celenterados numa inumerável verticalidade de uma estatística, ou seja, a própria "metaphysical poetry" permanecerá.

      Outros luso-africanismos, outros luso-asiaticismos e todas essas coisas óbviamente etnográficas atribuídas a brasileirismos submetidos ao aval de cientistas, serão nada além do que informações sobre a sua bagagem. Não se preocupe com algum documento individual e de preenchimento obrigatório( aos exilados do interior estes contarão com a presença de um intérprete).  Não se engane pensando que ficará no ângulo diedro(90º) sob Órion(Três Marias) pois esse espaço já estará bem ocupado por uma legião de caudilhos, sim de corifeus.  Você não morrerá de insuficiência natural, claro que não! Não pense prezado leitor na abundância metafórica ou em anúncios de cessar-fogo unilaterais inacessivelmentes secos. Destarte, preocupações com deficiências de infraestrutura ficarão intransparentes à sua própria inamovível imagem. E os tipos engraçados dos bastidores do que há de universal e de revolucionário perderão evidentemente sua tessitura alada, a bem da verdade ficarão disfarçados num horizonte incauto enquanto o longo estica e puxa político terá sua participação na marcha do mundo.

      A Direita no Brasil é selvagem. Ela é golpista.


                    WALKER LIMA

                    Olinda, 03 de novembro de 2011.

















*    As fotografias foram feitas por STELLA ZIMMERMAN na  região do Sertão pernambucano - Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário